• 11 99511-1782
  • ari.m@mnip.com.br

Palavras-chave: como listar e usar em uma busca de patentes.

Saber fazer uma busca por documentos de patentes é uma competência importante, no entanto ainda incomum, para profissionais que atuam com tecnologia. Muito além de apenas servir a interesses jurídicos, a busca por patentes com certeza desempenha um papel relevante no planejamento de projetos, gestão de ativos tecnológicos e qualquer outra atividade estratégica relacionado à pesquisa e desenvolvimento.

Dentre os diversos tipos de busca de patentes os mais conhecidos são: busca de anterioridades, busca de validade (ou impugnação) e busca de infração ou de liberdade de operação (conhecida como FTO, “freedon to operate”).

Apesar de serem diferentes, podemos dizer, de modo geral, que esses quatro tipos de buscas visam recuperar/encontrar documentos de patentes (pedidos de patente e patentes concedidas) que compartilhem alguma semelhança com um produto ou processo de interesse.

Toda busca de patentes começa com o levantamento das chamadas palavras chaves. No entanto, fazer uma boa lista de palavras-chave não é nada trivial. Nesse artigo vamos dar algumas dicas úteis para a realização de buscas de patentes, em especial dicas relacionadas ao levantamento e uso de palavras-chave.

Dica 1: invista tempo para fazer uma boa lista de palavras-chave

Uma lista de palavras-chave deve incluir termos relevantes que tenham relação direta com características técnicas do produto/processo de interesse. Por isso, antes de sair listando uma avalanche de palavras é sempre recomendado conduzir uma pesquisa sobre o produto/processo em questão. Algumas perguntas interessantes de serem respondidas são:

  • Qual o campo tecnológico do produto/processo?
  • Quais as soluções existentes que tratam da mesma necessidade que o produto/processo de interesse?
  • Quais as suas caraterísticas diferenciais? Ou seja, o que diferencia tal produto/processo das demais soluções em termos estruturais, físico-químicos ou funcionais?
  • Quais os principais componentes do produto? Ou principais etapas do processo?
  • Quais os termos técnicos (jargão específico) utilizados para falar sobre o produto/processo?
  • Quem são os principais player no mercado desse produto/processo?
  • Quais as principais pessoas ou instituições que atuam com o produto/processo ou com produto/processo semelhante?

Muitas dessas perguntas podem ser respondidas recorrendo a artigos científicos, em especial revisões de literatura, livros texto, reportagens, vídeos sobre a tecnologia, relatórios de mercado, relatórios tecnológicos e, inclusive, documentos de patente. Qualquer outro formato de conteúdo que revele informações técnicas sobre o produto/processo de interesse também é bem-vindo.

Tendo reunido uma boa quantidade de informações, agora é a hora de listar as palavras-chaves. As palavras-chave podem ser uma única palavra ou uma concatenação de palavras (por exemplo, “barco” e “barco inflável”). É recomendado que, no caso de escolha de adjetivos como palavras-chave, estes venham sempre venham associados a um substantivo, caso contrário o adjetivo solto pode prejudicar a qualidade da busca (por exemplo, usar apenas o adjetivo “inflável” desassociado de “barco” muito provavelmente resultara em uma lista enorme de invenções totalmente desconexas com um “barco inflável”).

Enquanto a lista de palavras-chave toma corpo, é importante tentar identificar quais são as palavras mais abrangentes e quais as mais específicas da lista (por exemplo, no caso da busca por um barco inflável, parece razoável elencar as seguintes palavras da menos para a mais específica: “veículo”, “veículo aquático”, “barco inflável”), pois isso ajudará mais adiante na busca como veremos na dica a seguir.

Dica 2: Comece com termos mais amplos e adicione termos mais específicos gradualmente

Começar uma busca de patentes com palavras chaves mais amplas é útil para termos um primeiro dimensionamento do campo tecnológico do produto/processo. Geralmente, uma busca de patentes usando apenas algumas palavras-chave mais genéricas retorna entre dezenas e centenas de milhares de documentos.

Pode ser o caso também de uma palavra-chave que se supunha ampla retornar um grupo muito reduzido de patentes (algumas centenas). Nesse caso, dita palavra-chave deve ser classificada como específica e ser deixada para ser usada mais adiante na busca.

Para tornar uma busca mais específica geralmente são adicionadas mais palavras-chaves de especificidade crescente. Dependendo da ferramenta de busca que você estiver usando, tal adição de palavras-chave pode ser feita pela digitação em um novo campo de busca ou pela digitação da palavras-chave intercaladas com o termo “AND”.

Além da combinação de palavras por adição usando o termo “AND”, é possível estruturar buscas que utilizam outras formas de combinação. O que nos leva a nossa próxima dica.

Dica 3: Explore diferentes combinações lógicas de palavras-chaves

Operadores Booleanos

Os operadores de combinação (tal como o “AND”) são chamados de Operadores Booleanos.  A lista de operadores booleanos disponíveis pode diferir dependendo da ferramenta de busca que você estiver usando. No entanto, a maioria das ferramentas utiliza uma mesma sintaxe e suporta pelo menos os seguintes operadores:

  • AND: operador aditivo; equivalente ao conectivo “e” do português; todos os termos concatenados por este operador devem estar presentes simultaneamente nos resultados de busca.
    • EX: barco AND inflável = resultados devem conter as ambas as palavras “barco” e “inflável”.
  • OR: operador alternativo; equivalente ao conectivo “ou” do português; pelo menos um dos termos conectados por este operador deve estar presente nos resultados de busca,
    • EX: barco ou inflável = resultados devem conter pelo menos uma dentre as palavras “barco” e “inflável”
  • NOT: operador de exclusão; o termo que segue este operador não deve estar presente nos resultados de busca.
    • EX: barco NOT inflável = resultados devem conter a palavra “barco”, mas não a palavra “inflável”

Além desses operadores, é comum encontrar ferramentas de busca que suportem ainda operadores de proximidade:

  • NEAR: operador de proximidade; todos os termos conectados por este operador devem nos resultados de busca, devendo tais termos estarem próximos um do outro. A proximidade entre os termos pode ser ajustada em alguns bancos, sendo 5 a distância padrão definida.
    • EX: barco NEAR inflável = resultados devem conter o termo “barco” a uma distância de pelo menos 5 palavras (antes ou depois) do termo “inflável” (inclui, por exemplo, resultados que contêm um dos seguintes textos: “barco salva-vidas inflável”, “boia inflável para barco” e “barco inflável”)

A escolha de palavras-chave deve levar em conta as possibilidades de combinação resultantes dos operadores booleanos. Isso pois, tal conhecimento permite que palavras que, em uma primeira análise, possam parecer irrelevantes, sejam incluídas em sua lista. Por exemplo, pode ser interessante incluir a palavra “plástico” em uma busca que visa identificar invenções feitas exclusivamente de metal, porque o uso do termo “plástico” pode ser acompanhado do operador NOT (Ex: peça AND metal NOT plástico).

Caso tenha interesse em entender mais sobre operadores booleanos veja o link.

Dica 4: Considere incluir termos derivados das suas palavras-chave

Frequentemente, uma lista de palavras-chave contém muitos termos derivados de um mesmo radical (Ex: barco, barcos, barquinho, barca, barcas). No entanto, listar todas as variações de um mesmo radical pode ser um processo laborioso e suscetível a falhas.

Sabendo dessa dificuldade, muitas ferramentas de busca apresentam a possibilidade de realizar buscas usando radicais como palavras-chave. Esse recurso é conhecido como radicalização ou truncamento. Tais buscas podem ser realizadas fazendo uso dos seguintes caracteres:

  • * : indica um ou mais caracteres quaisquer
    • EX: barc* = inclui palavras como “barco”, “barcos”, “barcão”, “barca”, “barcas” e “barcelona”
  • ? : indica apenas um caractere qualquer
    • EX: barc? = inclui palavras como “barco” e “barca”

Note que, a diferença entre os operadores “*” e “?” é sutil, mas pode levar a resultados de busca completamente distintos. Por isso, fique atento e pense bem em como fazer uso desses operadores.

Assim como mencionado para os operadores booleanos, saber da possibilidade de realizar busca com radicalização ou truncamento permite que o processo de listagem de palavras-chave seja menos trabalhoso e mais ágil.

Dica 5: Explore os diferentes campos de busca 

Até aqui já falamos sobre como listar e combinar palavras-chave, porém, para que se obtenha resultados de busca de qualidade, é importante saber também sobre as formas de usar tais palavras-chave.

De modo resumido, as palavras-chave são inseridas em campos de busca, sendo que dito campo pode ter seu escopo de busca delimitado, restringindo a busca a apenas uma determinada parte dos documentos de patentes. Por exemplos, uma busca com palavras-chaves pode se limitar apenas ao conteúdo de texto do título, do resumo, do relatório descritivo, inventor, titulares ou reivindicações. Algumas ferramentas de busca inclusive permitem a combinação de mais de uma das opções mencionadas.

Ao focar sua busca em trechos específicos dos documentos de patentes é possível ponderar o peso das palavras-chaves. Isso porque, cada uma das diferentes partes de um documento de patente tem um intuito distinto. De forma resumida podemos dizer que as partes de dividem da seguinte maneira:

  • Quadro reivindicatório: trata das características técnicas principais da invenção;
  • Título: inclui palavras centrais para identificação da invenção;
  • Resumo: geralmente inclui uma breve descrição da invenção e suas características mais importantes, objetivo da invenção e campo de aplicação
  • Inventor: pessoas creditadas pela criação da invenção;
  • Titular: pessoas designadas como detentoras dos direitos sobre a patente.
  • Relatório descritivo: abrange o detalhamento completo da invenção, incluindo também seus objetivos, vantagens, diferenciais, campos de aplicação, estado da técnica e todas as informações incluídas nos demais campos.

Tendo em mente os diferentes tipos de conteúdos de cada parte de um documento de patentes, podemos começar a pensar em qual a parte mais interessante para delimitar nosso escopo de busca. Geralmente, quando se deseja realizar busca mais amplas, tais como busca de anterioridades, é interessante direcionar a busca no relatório descritivo, uma vez que esse vai incluir a totalidade das informações reveladas pelos documentos de patentes, incluindo até o menor dos detalhes.  Por outro lado, buscas mais específicas, tais como buscas de liberdade de operação, podem requerer que a busca foque apenas nas características principais, sobre as quais se define uma invenção. Por esse motivo, tais buscas tendem a se focar no quadro reivindicatório dos documentos de patentes.

É possível ainda dividir as palavras-chave de sua lista para utilizá-las na busca em partes distintas de documentos de patentes. Por exemplo, as palavras-chave mais relevantes podem ser incluídas na busca direcionadas ao quadro reivindicatório, e palavras-chave mais genéricas, ou que se referem a características menos importantes, podem ser incluídas em buscas no relatório descritivo.

 

Danilo Zampronio

danilo.z@mnip.com.br

Mais conteúdo

Confira outros artigos recentes

Como ler uma patente

A primeira vez que nos deparamos com um documento de patente (pedido de patente ou patente concedida) podemos ficar um pouco confusos com a quantidade

Compartilhe sua opinião

Conte com quem tem mais de 10 anos de experiência